A Câmara Municipal de Lisboa vai vender em hasta pública 19 casas, no dia 18 de junho, no âmbito do programa “Reabilita Primeiro, Paga Depois”, prevê a venda de propriedades municipais devolutas para serem recuperadas. A autarquia estima arrecadar mais de 3,5 milhões de euros

A hasta pública está marcada para o edifício central da Câmara, no Campo Grande. Os locais para alienação podem ser consultados nos sites http://rehabitarlisboa.cm-lisboa.pt e http://cidadedeoportunidades.cm-lisboa.pt/.

As candidaturas para esta sexta hasta pública podem ser feitas até às 13:00 da véspera da realização da alineação dos imóveis, segundo a página da Internet da autarquia.  

As casas estão localizadas nas zonas da Ajuda (Travessa da Ferrugenta), Belém (Largo do Galvão, Largo Marquês de Angeja), Santa Maria Maior (Travessa de São Tomé), Misericórdia (Rua da Atalaia), São Vicente (Calçada de São Vicente, Beco dos Loios, Rua das Beatas, Rua da Graça, Largo de Santa Martinha), Estrela (Travessa da Trabuqueta), Campolide (Rua de Campolide), Marvila (Rua Zófimo Pedroso), Lumiar (Rua do Lumiar), Santo António (Rua da Esperança do Cardal, Rua do Cardal de São José), Campo de Ourique (Rua dos Sete Moinhos) e Penha de França (Rua da Penha de França).

Os valores vão dos 52 mil euros aos 617 mil euros e, no total, a Câmara espera arrecadar mais de 3,5 milhões de euros.

Já este mês, o PSD acusou a autarquia de vender imóveis municipais “a preço de saldo”, devido à redução do preço de licitação prevista para as propriedades que voltem a hastas públicas, nota a Lusa.

Entre outubro do ano passado e janeiro deste ano, a Câmara vendeu duas parcelas de terreno, 12 prédios urbanos e 22 frações autónomas, em hastas públicas, tendo encaixado cerca de 68 milhões de euros.

Os últimos dados da autarquia afirmavam terem sido arrematados 85 prédios dos 89 colocados à venda ao abrigo do "Reabilita Primeiro, Paga Depois". Foram ainda “celebrados 59 contratos de compra e venda e deferidos mais de 67% dos pedidos de licenciamento submetidos pelos adquirentes”.