Os trabalhadores do Instituto de Gestão dos Fundos de Capitalização da Segurança Social estão a ser obrigados a devolver ao Estado parte do salário que receberam nos últimos dez anos. Em alguns casos o montante chega aos 75 mil euros

É que estes funcionários receberam prémios de produtividade, subsídios de função e ajudas no crédito à habitação que foram considerados ilegais pelo Tribunal de Contas.

A lei que proíbe estes suplementos para os gestores públicos está em vigor desde 2003, mas só agora, 10 anos depois, é que o instituto está a pedir aos funcionários que devolvam o dinheiro.