A zona euro vai sofrer uma contração de 0,4% este ano e deve crescer 1,1% em 2014, altura em que a taxa de desemprego vai atingir os 12,2%, prevê o instituto alemão de economia mundial IfW.

O relatório do centro de estudos alemão prevê uma «melhoria gradual das condições económicas» deste grupo de 17 países «nos próximos meses», baseando-se nos resultados positivos dos últimos indicadores de confiança dos empresários e dos consumidores e na redução das tensões nos mercados financeiros.

No entanto, «a velocidade da recuperação continuará a ser modesta» durante o resto de 2013 e em 2014, devido sobretudo às medidas de ajustamento nos países do sul.

«O ajustamento estrutural dos países em crise pesa sobre o crescimento», refere o estudo do IfW.

A retoma do crescimento da zona euro será suportada pela procura externa nos próximos meses e conseguirá o reequilíbrio com o consumo interno ao longo do próximo ano, acrescenta o IfW.

O Instituto estima que «as pressões inflacionistas» irão «declinando progressivamente na segunda metade de 2013» devido à sobrecapacidade e fraco crescimento dos salários.

O IfW aponta para que o défice público médio da zona euro se situe em 2,8% este ano e que no próximo se reduza até aos 2,5%.