O Instituto Politécnico de Leiria (IPLeiria) e o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) assinaram hoje um protocolo que visa a realização de ações de formação no âmbito do programa Vida Ativa, dirigido a desempregados com o ensino superior.

Nesta primeira fase do programa Vida Ativa, vão participar 100 formandos, que estavam inscritos nos centros de emprego do IEFP da área de influência da Delegação Regional do Centro, com formação superior.

A seleção de quatro grupos de participantes, com 25 candidatos cada, foi da responsabilidade do IEFP e as formações têm lugar no IPLeiria, entre terça-feira e 4 de junho.

Marketing da nova empresa, plano de negócios, dinâmica de geração de ideias, contabilidade e gestão financeira ou internacionalização, são algumas das temáticas das ações formativas.

O presidente do IPLeiria, Nuno Mangas, explicou tratar-se de 100 horas divididas por «aulas tradicionais», «trabalhos de grupo» e «sessões de geração de ideias» para serem «constituídas redes de dinâmicas de grupo».

«Serão mais-valias para estes jovens que têm uma formação superior e que, infelizmente, ainda não encontraram uma resposta do mercado de emprego. Em parceria com o IEFP, queremos dar-lhes um conjunto de ferramentas que lhes permitam, de uma forma mais fácil, aceder ao mercado de emprego ou, eventualmente, permitir-lhes que criem o seu próprio emprego», salientou Nuno Mangas.

Para o presidente do IPLeiria, este programa irá permitir «estimular o espírito criativo dos jovens» e «pô-los em contacto com empresários e com estruturas de incubação, de forma a incentivar a criação do seu próprio emprego».

Nuno Mangas considerou que este programa é uma forma de motivar estes desempregados. «É abrir-lhes horizontes. Hoje, a situação de se estar temporariamente desempregado é difícil do ponto de vista pessoal e social. Temos de criar estímulos adicionais, dar-lhes novas perspetivas e aumentar a rede de contactos entre eles e os empresários e daí associarmos a Nerlei [Associação Empresarial da Região de Leiria].»

«O desafio a que nos propomos com o IPLeiria é o de contribuir para que esse estado [desemprego] possa terminar o mais rápido possível», salientou o presidente do IEFP, Jorge Gaspar, acrescentando que o programa pretende «aproximar a qualificação às necessidades do mercado».

Jorge Gaspar recordou que «a qualificação não faz mal a ninguém, ao contrário da máxima errada que diz que qualificação é meio caminho para o desemprego».

O responsável pelo IEFP reforçou com as estatísticas que indicam que «os desempregados com mais qualificações estão menos tempo no desemprego» e que «o regresso ao trabalho é tanto mais rápido quanto mais foram as qualificações».

Afirmando que «o empreendedorismo não é a solução para todos os males», Jorge Gaspar adiantou que, «no recrutamento de trabalhadores qualificados, as empresas valorizam, cada vez mais, as competências sociais das pessoas e a sua capacidade de se adaptar à cultura e desenvolvimento da organização».

Segundo os dados do IEFP do mês de março, nos vários centros de emprego do distrito de Leiria estavam inscritos 3.165 desempregados com o ensino superior, num total de 22.310 de pessoas à procura de emprego.