O número de desempregados registados no Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) caiu 6,6% em termos homólogos, em 35.035 para 497.663 mil pessoas. Um número fica, novamente, abaixo do meio milhão e se aproxima dos 495.546 de dezembro de 2009.

A evolução, comparativamente a julho de 2015, mostra a descida do desemprego nos homens (-7,9%) e nas mulheres (-5,4%).

A descida face ao mês de junho de 2016 é de 2,7%. Ou seja, entre junho e junho o registo de desempregados caiu em 13.979 pessoas.

Quanto ao grupo etário, jovens e adultos apresentavam uma descida anual do desemprego, respetivamente, -9,2% e -6,2%. No que respeita ao tempo de inscrição, os desempregados inscritos há menos de um ano diminuíram 4,9% em relação a julho de  2015, e os desempregados de longa duração (tempo de inscrição igual ou superior a um ano) diminuíram 8,3%.

Já o total de desempregados casados ou em união de facto era de 21 042 (9,7%). Deste conjunto, o número de casais em que ambos os cônjuges estão registados como desempregados foi, no final de julho de 2016, de 10.521, +1,1% (+111 casais) que no mês homólogo e -3,3%, (-360 casais) em relação ao mês anterior.

Verão a fazer a diferença

Os números não deixam de ser impactados pela sazonalidade: o efeito Verão. Os dados o IEFP revelam ainda que "a nível regional, e comparando com o mês de julho de 2015, o desemprego diminuiu em todas as regiões do País, com o valor mais elevado na região do Algarve (-19,2%)".

Em relação ao mês anterior, a tendência é também de descida anual e a região que apresenta o valor homólogo mais acentuado acontece na mesma região já referida: no Algarve com -10% de desempregados inscritos.

Mas não é só o número de desempregados inscritos que está em queda. Também o número de pessoas que se inscreveram está a descer. Ao longo deste mês de julho inscreveram-se 47.270 desempregados, número que representa um decréscimo (-16,6%; -9. 427) face ao mesmo mês de 2015.

A nível regional, todas as regiões apresentam descidas, com o Algarve a registar o maior decréscimo (-26,8%). Comparando com o mês anterior. A Região Autónoma dos Açores assume o decréscimo mais acentuado das inscrições de desempregados (-26,7%).