Portugal está na moda e os dados do boletim mensal de turismo do Instituto Nacional de Estatística comprovam isso mesmo.

E este ano, são os turistas polacos que fazem a diferença em termos de crescimento. A Polónia apresentou um acréscimo de 6% em abril, largamente superado pelo resultado de janeiro a abril (+34,9%), revelam os dados do INE.

Em abril, os treze principais mercados emissores representaram 84,8% das dormidas de não residentes, uma quota ligeiramente inferior à do período homólogo (85%).

Em termos globais, a hotelaria registou 1,6 milhões de hóspedes e 4,1 milhões de dormidas em abril de 2016, equivalendo a acréscimos homólogos de 7,7% e 6,2%, respetivamente.

Mesmo assim o INE refere que os resultados “ficaram bastante aquém dos de março (+19,4% e +21,1%) em parte como consequência da Páscoa em 2015 ter ocorrido em abril”.

Face a março deste ano, tanto o mercado interno como os externos registaram crescimentos mais moderados (+6,8% e +5,9%) relativamente aos de março (+18,1% e +22,4%).

Os proveitos também tiveram menor crescimento (+11,8% nos proveitos totais e +11,9% nos de aposento) face a +23,3% e +26,8% em março.

As dormidas de residentes (1,1 milhões) aumentaram 6,8%, menos que nos últimos meses (+18,1% em março e +11,6% em fevereiro).

Os mercados externos proporcionaram 3 milhões de dormidas (+5,9%), resultado bastante inferior ao de março (+22,4%) e dos meses anteriores, sob efeito base de calendário da Páscoa (em abril de 2015 e março de 2016), diz o INE. “Efetivamente este efeito de calendário foi particularmente notável no caso do mercado espanhol que apresentou uma redução de perto de 25% após o considerável crescimento de 82,9% no mês anterior”, conclui o instituto.