A taxa de ocupação da hotelaria portuguesa cresceu 2,2 pontos percentuais em julho face a igual período de 2012 para os 71,98%, revelou a Associação da Hotelaria de Portugal (AHP), que registou ganhos nos principais indicadores.

«O mês de julho foi positivo, de modo geral, para a hotelaria. A sazonalidade é um dos fatores que caracterizam o comportamento da maioria dos destinos turísticos do nosso país e o mês de julho é tradicionalmente um mês com elevada procura turística, no qual é normal existirem comportamentos positivos», referiu, em comunicado, a presidente da direção executiva da AHP, Cristina Siza Vieira.

O preço médio por quarto aumentou 1,96% para 76,84 euros, o preço médio por quarto disponível (RevPar) subiu 5,17% para 55,31 euros e a receita total por quarto disponível cresceu 4,27% para 77,69 euros, de acordo com as informações da associação.

«Contudo, é como olharmos para um copo meio cheio. Neste caso, podemos também focar-nos nas camas que ficam vazias, evidência particularmente visível nas épocas baixas. É importante a concentração na estratégia de promoção internacional de Portugal porque é por aqui que passa a solução», acrescentou Cristina Siza Vieira, que «o caráter provisório da comparticipação pública traz uma incógnita para o futuro e merece reflexão sobre qual o modelo que se deve seguir».

Em termos regionais, a presidente da direção executiva da AHP destacou, a nível de RevPar, o desempenho do Algarve (82,45 euros), Estoril/Sintra (70,39 euros) e Açores (56,48 euros).