A hotelaria registou 2 milhões de hóspedes e 5,4 milhões de dormidas em outubro, correspondendo a crescimentos homólogos de 8,7% e 6,4%, contra 8% e 5,3% em setembro, respetivamente, segundo o INE.

De acordo com os dados sobre a atividade turística, produzidos pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), o mercado interno acelerou para um crescimento de 5,9% (1% em setembro), contribuindo com 1,2 milhões de dormidas.

“Este nível de aumento não se verificava desde o expressivo crescimento em abril, impulsionado pelo efeito de calendário da Páscoa”, destacou o instituto.

Por sua vez, em outubro, houve um ligeiro abrandamento nos mercados externos, registando um crescimento de 6,5% (6,9% em setembro), atingindo 4,2 milhões de dormidas.

Nos primeiros dez meses do ano, o mercado interno gerou 14 milhões de dormidas (3,6%) e os mercados externos corresponderam a 37,6 milhões de dormidas (8,5%).

A estada média (2,71 noites) reduziu-se 2,2% e apenas no Centro se verificou um aumento neste indicador (2,5%), com a Madeira a registar a estada média mais elevada (4,88 noites) e a redução mais pronunciada (-5,6%), entre as várias regiões.

Os proveitos totais atingiram 323,5 milhões de euros e os de aposento 234,8 milhões de euros (18,6% e 22,5%, respetivamente), continuando em aceleração (17,8% e 18,9% no mês anterior, respetivamente).

Entre os principais mercados emissores, destaque para o mercado britânico (com 22,9% do total das dormidas de não residentes) que recuou 5% em outubro, resultados que poderão, de alguma forma, estar influenciados pelo cancelamento de alguns serviços de transporte aéreo entre o Reino Unido e Faro. Entre janeiro e outubro este mercado cresceu 2%.

As dormidas de hóspedes alemães (com uma quota de 15,5%) aumentaram 5,1%. Nos primeiros dez meses do ano este mercado cresceu 7,5%.

O mercado francês (8,8% do total) manteve a tendência decrescente (recuando 0,9%) dos últimos meses, tendo diminuído 0,3% desde o início do ano.

O mercado espanhol (7% do total) registou, por seu turno, um ligeiro crescimento em outubro (0,9%) e aumentou 1,1% nos primeiros dez meses do ano.

Entre os principais países, o INE sinaliza ainda os crescimentos apresentados em outubro pelos mercados polaco (59,4%), norte-americano (44,0%) e italiano (20,7%).

Nos primeiros dez meses do ano, destacaram-se as evoluções nos mercados brasileiro (39,9%), norte-americano (33,3%) e polaco (28,7%).

Em termos regionais, observaram-se aumentos das dormidas em todas as regiões, com realce para o Centro (20,4%) e Alentejo (16,3%).

As dormidas concentraram-se essencialmente no Algarve (peso de 33,5%) e na Área Metropolitana de Lisboa (25,5%).

Neste mês houve um incremento de 320,0 mil dormidas (face a igual mês do ano anterior), do qual 29,1% foi proveniente do Centro (93,2 mil dormidas adicionais), 25,6% do Algarve (acréscimo de 82,0 mil dormidas) e 21,9% da Área Metropolitana de Lisboa (70,2 mil dormidas acrescidas).

No período entre janeiro e outubro todas as regiões registaram acréscimos, salientando-se as evoluções apresentadas pelos Açores (16,3%), Centro (14,3%) e Alentejo (10,6%).