A Câmara de Lisboa realiza, na próxima quinta-feira, uma hasta pública para alienar oito frações autónomas para comércio e habitação, quatro terrenos e três prédios urbanos por um valor base total de perto de 14 milhões de euros.

Cinco das frações autónomas que a autarquia de maioria socialista pretende alienar serão usadas para comércio e estão localizadas nas freguesias do Lumiar (Rua Frederico George), Santa Maria Maior (Residências do Martim Moniz) e Belém (Rua Pedro de Sintra e Rua Diogo Silves).

Ao todo, o preço base de alienação destas frações é de 882 mil euros.

As restantes frações autónomas, que totalizam 676 mil euros, serão utilizadas para habitação, situando-se nas freguesias do Lumiar (Rua Bento de Jesus Caraça), Santa Maria Maior (Residências do Martim Moniz) e Belém (Rua Luís Pedroso de Barros).

Na mesma ocasião, a Câmara pretende vender dois lotes de terreno no Lumiar (Rua Duarte Vidal) e em São Domingos de Benfica (Rua Virgílio Correia), bem como duas parcelas de terreno em São Vicente (Rua Damasceno Monteiro) e no Parque das Nações (Rua Conselheiro Lopo Vaz e Conselheiro Mariano de Carvalho).

Esta última parcela de terreno é o ativo mais caro entre o património que o município quer vender, tendo um valor base de licitação de cerca de 4,6 milhões de euros.

Ao todo, os terrenos (lotes e parcelas) terão um preço mínimo de alienação de 9.661.290 euros.

Acrescem três prédios urbanos na Misericórdia (Rua do Jasmim e Rua da Rosa) e em Santa Maria Maior (Rua de São Miguel), com um valor base total de 2.538.000 euros.

A hasta pública inicia-se às 10:00 no edifício central do município no Campo Grande.

Grande parte deste património estava sob alçada da Empresa Pública de Urbanização de Lisboa (EPUL) e passou para a posse da Câmara após a extinção da companhia, no final do ano passado.

Os interessados podem enviar as suas propostas pelo correio ou entregá-las em mão até às 13:00 de quarta-feira.

Entre outubro do ano passado e janeiro deste ano, a autarquia vendeu duas parcelas de terreno, 12 prédios urbanos e 22 frações autónomas em hastas públicas.