A prestação média dos contratos de crédito à habitação desceu dois euros em novembro face ao mês anterior, fixando-se nos 256 euros, o valor mais baixo da série iniciada em janeiro de 2009, revelou o INE.

A taxa de juro implícita no crédito à habitação situou-se nos 1,401%, o que significa um decréscimo de 0,038 pontos percentuais face à taxa observada em outubro (1,439%).

Em janeiro de 2009, no início desta série estatística, a prestação média da casa era de 382 euros, para uma taxa de juro implícita de 5,79%.

Novembro foi o terceiro mês consecutivo em que a prestação da casa baixou, acompanhando a tendência de descida das taxas de juro.

Para os contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro implícita passou de 3,071% em outubro para 2,994% em novembro, o que significou uma queda de 14 euros no valor médio da prestação da casa (330 euros).

O valor médio do capital em dívida para a totalidade dos contratos de crédito à habitação foi de 56.793 euros em novembro, menos 123 euros do que em outubro.

O capital médio em dívida tem vindo a diminuir desde setembro de 2011, sendo a redução acumulada de 2.841 euros.
Nos contratos celebrados entre agosto e outubro de 2014, o valor médio do capital em dívida foi de 79.958 euros em novembro, menos 2.170 euros face ao mês anterior (82.128 euros).