A União Europeia vai ajudar a Ucrânia a regularizar a dívida de dois mil milhões de dólares (1,5 mil milhões de euros) devidos pela compra de gás russo, assegurou o comissário europeu da Energia.

«O pagamento das faturas de gás devidas pela Ucrânia é um dos pontos importantes do programa de ajuda da Comissão Europeia», que será adotado na quarta-feira, garantiu Günther Oettinger, citado pela TSF, após o conselho de ministros europeus de Energia, que decorreu em Bruxelas.

A partir de abril, a empresa russa Gazprom deixará de vender gás à Ucrânia a preços reduzidos, um acordo feito em dezembro com esta ex-república soviética e que vigora até março.

A ajuda da Comissão será complementada por ajudas concedidas por vários países, sublinhando que ajuda de mil milhões de dólares (cerca de 727 milhões de euros) anunciada hoje pelos Estados Unidos servirá também para liquidar essa dívida.

O comissário europeu Günther Oettinger adiantou que receberá a 19 de março o ministro da Energia ucraniano, Iouri Prodan, para discutir a ajuda europeia para Kiev.

A Comissão Europeia deve apresentar, esta quarta-feira, os contornos da sua ajuda para a Ucrânia. A Comissão está a trabalhar no plano junto com o Fundo Monetário Internacional (FMI), que deve prestar a assistência financeira mais importante.

Kiev enfrenta o perigo da bancarrota do país, pelo que, em cima da mesa, estará um pacote de curto prazo com a participação do Fundo Monetário Internacional.