A TAP anunciou hoje que não estão reunidas as condições operacionais necessárias para retomar os voos para a Guiné-Bissau, após o ministro guineense da Administração Interna, Botche Candé, ter garantido «total segurança» à companhia.

Em comunicado, a transportadora aérea afirma que a ligação se encontra adiada por um período «não inferior a 45 dias».

A companhia solicita aos passageiros com voos reservados para esse período que entrem em contacto com os seus serviços ou com os agentes de viagens, com vista a encontrar «a solução mais adequada».

A retoma da operação para a Guiné-Bissau estava prevista para o dia 28 de outubro, com a realização de três voos por semana, com partida de Lisboa, às terças-feiras e sábados, segundo a companhia.

O ministro da Administração Interna da Guiné-Bissau, Botche Candé, garantiu hoje que o Governo dá «total segurança» à TAP para retomar os voos regulares para Bissau a partir daquela data.