Os trabalhadores dos CTT vão estar em greve a 29 de novembro e nos dias 27, 30 e 31 de dezembro, disse hoje à Lusa o secretário-geral do Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações (SNTCT).

Estas ações de luta «são contra a privatização dos CTT e a retirada de direitos dos trabalhadores», disse Vítor Narciso.

A última greve dos CTT decorreu a 25 de outubro contra a privatização da empresa, cujo processo estará concluído até final do ano, de acordo com as previsões do Governo.

A 29 de novembro, além da greve, os CTT vão realizar um plenário de trabalhadores nos Restauradores, Lisboa, e convocaram uma manifestação nacional frente ao Ministério das Finanças, cerca das 15:45, de acordo com o calendário de luta do sindicato.

No mesmo dia, os trabalhadores vão entregar postais contra a privatização na Assembleia da República.

Entre 02 e 20 de dezembro, estão previstas várias iniciativas de rua em todo o país e plenários e greves locais a serem aprovadas pelos trabalhadores.

Nos dias 27, 30 e 31 de dezembro haverá nova greve nacional dos CTT.

De acordo com o sindicato, «a greve de dezembro implica oito e meio dias sem correio», conclui.