A TAP mantém para hoje, oitavo dia da greve dos pilotos, a tendência de operação dos últimos dias, em que foram cumpridos cerca de 70 por cento dos voos, disse à agência Lusa fonte da transportadora aérea.

“A esta hora da manhã, o que podemos dizer é que perspetivamos que tendência de realização de voos se mantenha equivalente ao dos dias anteriores”, adiantou à agência Lusa Carina Correia, do gabinete de imprensa da TAP, cerca das 08:15.


Segundo Carina Correia, o dia de quinta-feira foi “um dia excecionalmente bom” no contexto de greve, já que se realizaram 195 voos, tendo sido cancelados 66.

“Hoje, além de ser um dia com características diferente, uma vez que é véspera de fim de semana, há um maior volume de passageiros, no entanto, também podemos verificar que o aeroporto está bastante tranquilo, tem sido feito um esforço muito grande de aviso aos passageiros recolocação em outros voos”, explicou.


A mesma fonte remeteu para o final da manhã números sobre o sétimo dia de paralisação dos pilotos da TAP.

De acordo com a Transportadora Aérea Portuguesa (TAP) no sétimo dia de greve dos pilotos da empresa foram realizados até às 19:00 195 voos e cancelados 66.

No entanto, em nota enviada à imprensa, o Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) referiu que até às 20:30 de hoje foram cancelados 113 voos e efetuados 152.

Os pilotos convocaram uma greve, para o período entre 01 e 10 de maio, por considerarem que o Governo não está a cumprir o acordo assinado em dezembro de 2014, nem um outro, estabelecido em 1999, que lhes dava direito a uma participação de até 20 por cento no capital da empresa no âmbito da privatização.

O ministro da Economia, Pires de Lima, afirmou quarta-feira que nos primeiros cinco dias a greve dos pilotos provocou à TAP um “prejuízo de 17 milhões de euros”.

Pires de Lima estimou também que a manter-se a situação o prejuízo final da greve chegue aos 35 milhões de euros.