As ligações fluviais entre o Barreiro e o Terreiro do Paço, em Lisboa, retomaram cerca das 9:30 desta segunda-feira. Estiveram paradas, devido a uma greve parcial dos trabalhadores da Soflusa.

"As ligações estão todas paradas entre o Barreiro e Lisboa, apenas foram efetuadas duas carreiras que estavam decretadas nos serviços mínimos. A principal razão desta greve é a exigência da revisão da massa salarial e também a discriminação que a administração tem estado a fazer em relação aos outros funcionários da empresa, quando aumentaram os cargos médios e superiores", disse à  Lusa Carlos Costa, do Sindicato dos Transportes Fluviais Costeiros e Marinha Mercante, afeto à Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (FECTRANS).

"No período noite/manhã de hoje registou-se uma taxa de adesão à greve de 68%, que reflete apenas a adesão por parte dos trabalhadores das áreas comercial e operacional, cujos turnos estão abrangidos pelo aviso de greve", referiu a fonte.

Já Carlos Costa adiantou que os números de adesão rondam os 90% em termos dos trabalhadores da área operacional.

"Da parte administrativa ainda não conhecemos os números, mas em termos operacionais, neste primeiro período de greve, a adesão é superior a 90%", afirmou.

Na tarde de hoje os barcos voltarão a parar entre as 18:00 e as 22:15.

A Soflusa, integrada na Transportes de Lisboa, juntamente com o Metro, Carris e Transtejo, tem cerca de 170 trabalhadores.