As ligações fluviais entre o Barreiro e o Terreiro do Paço, em Lisboa, voltaram a parar na tarde desta segunda-feira devido a uma greve parcial dos trabalhadores da Soflusa, sendo retomadas cerca das 21:25.

"Confirmamos que a ligação fluvial do Barreiro com Lisboa se encontra interrompida até às 21:25, hora prevista para a retoma de atividade no terminal do Barreiro", disse à Lusa fonte oficial da empresa, que referiu que, durante o período de greve, foram efetuadas duas carreiras extra, às 18:10 e 18:20.

Segundo a mesma fonte, a adesão à greve no período da tarde foi de 56%.

"Foi registado um nível de adesão à greve de 55%, este valor resulta de uma taxa de adesão de 54% no total do período noite/manhã e de uma taxa de 56% no período da tarde", acrescentou.

Os trabalhadores da Soflusa iniciaram esta segunda-feira uma greve parcial de três dias, três horas por turno, que afeta as ligações fluviais entre as duas margens do Tejo, em especial, nos períodos das horas de ponta da manhã e da tarde.

Segundo Carlos Costa, do Sindicato dos Transportes Fluviais Costeiros e Marinha Mercante, afeto à Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans), os trabalhadores da empresa, que já cumpriram na semana passada dois dias de greve parcial, exigem uma revisão da massa salarial.

A Soflusa, integrada na Transportes de Lisboa, juntamente com o Metro, Carris e Transtejo, tem cerca de 170 trabalhadores.