O presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, disse esta sexta-feira à entrada da reunião do Eurogrupo, que decorre em Bruxelas, que vê «razões para algum otimismo» e espera que a negociação seja concluída «nas próximas horas».

«Ainda há alguma razão para otimismo», mas «é muito difícil» encontrar um compromisso satisfatório para todas as partes, alertou em declarações à imprensa.

Também à entrada do Eurogrupo, o ministro grego das Finanças, Yanis Varoufakis, mostrou-se muito confiante que um acordo para a Grécia será alcançado ainda hoje

«Eu não tenho dúvidas de que hoje decorrerá uma discussão muito cordial e espero que no fim haja fumo branco», declarou Yanis Varoufakis aos jornalistas. 

As declarações do ministro das Finanças vão de encontro às palavras do primeiro-ministro grego que sublinhou esta manhã estar seguro de que o  pedido de extensão do empréstimo por seis meses, realizado formalmente na quinta-feira, será aceite pelos credores europeus, apesar das objeções de Berlim e pede uma decisão política histórica.  

«A Grécia fez tudo o possível para que possamos chegar a uma solução que beneficie as duas partes, baseada no princípio de um respeito duplo: respeito pelas regras da UE e pelos resultados eleitorais dos Estados-membros», defendeu Alexis Tsipras. «Estou seguro de que o pedido grego de uma extensão do empréstimo por seis meses com os condicionamentos que a acompanham irá ser aceite», adiantou confiante. 

Num encontro que está debaixo de todos os holofotes, Merkel e François Hollande dizem-se empenhados em manter Grécia na zona euro.

A reunião do Eurogrupo começa foi adiada 1:30 e começa agora às 15:30, hora de Lisboa, depois de três reuniões falhadas, nas quais a Grécia não conseguiu chegar a acordo com os credores.