O ministro dos Negócios Estrangeiros grego, Nikolaos Kotzias, considerou esta sexta-feira que a aprovação do Orçamento do Estado em Portugal é "positiva para a Europa" por permitir uma "mudança para [implementar] mais políticas sociais".

O governante grego falava à Lusa em Limassol, sul do Chipre, durante uma pausa na 3.ª reunião do Grupo Informal do Mediterrâneo (Med Group), composta pelos chefes da diplomacia de sete países europeus do sul - Portugal, Espanha, Itália, França, Malta, Grécia e Chipre.

"É positivo para uma mudança para políticas mais sociais. Espero que seja o fim das medidas de austeridade e que tenhamos um bom exemplo de Portugal, que se possa replicar por toda a Europa", disse Nikolaos Kotzias.

O ministro grego trocou algumas impressões com o chefe da diplomacia portuguesa, à margem da reunião, e adiantou à Lusa ter convidado Augusto Santos Silva para visitar a Grécia.

"Somos ambos professores, por isso entendemo-nos", acrescentou.

O Orçamento do Estado foi aprovado na terça-feira na generalidade com os votos favoráveis de PS, Bloco de Esquerda (BE), Partido Comunista Português (PCP) e Os Verdes. O PAN absteve-se nessa votação, com PSD e CDS-PP a votarem contra o texto.

Agora, o Orçamento é debatido e aperfeiçoado na especialidade, e depois dar-se-á então a votação final global em plenário da Assembleia da República.

Na quinta-feira, Santos Silva, ‘número dois' do Governo liderado por António Costa, afirmou que a proposta aprovada é "muito prudente, muito sólida e que sobretudo aposta na compatibilização entre a consolidação orçamental e algum crescimento económico e, sobretudo, no regresso à normalidade constitucional".

Uma vez aprovado o documento, "o essencial é que o país se concentre no trabalho que tem de fazer, e que é executá-lo com rigor", acrescentou.