A esmagadora maioria dos gregos quer que o país permaneça na zona euro, segundo uma sondagem feita pela Metron Analysis para o jornal Parapolitika, noticia a Reuters.
 
Um total de 84% dos gregos quer continuar na zona euro, mostra a sondagem. Apenas 12% prefere voltar à moeda antiga, ao dracma, numa altura em que o país está numa corrida contra o tempo para chegar a acordo com os credores em troca de financiamento.
 
Esta análise mostra ainda que, embora a esmagadora maioria dos gregos prefira que o país continue a fazer parte do euro, 55% disseram que a escolha certa para votar no referendo do passado domingo, 5 de julho, era a resposta ‘Não’.
 
As  derradeiras propostas gregas foram ontem apresentadas dentro do prazo previsto: IVA, novos impostos, descer salários na função pública, criar uma espécie de regime de mobilidade especial, desencorajar reformas antecipadas e privatizar mais do que estava previsto. Se credores aceitarem, tábua de salvação política de Alexis Tsipras poderá ser a reestruturação da dívida. 

As instituições europeias já estão a analisar as propostas concretas da Grécia. 

O ministro grego das Finanças, Euclid Tsakalotos, disse esta sexta-feira que o controlo de capitais na Grécia pode ser rapidamente revertido, caso se chegue a um acordo com os credores, o que evita a saída do país da zona euro. Os bancos poderão reabrir já no final da próxima semana, avança a imprensa internacional.