Os depósitos em bancos gregos sofreram em janeiro uma redução de 12.200 milhões de euros, ficando no nível mais baixo desde 2012, segundo dados publicados esta quinta-feira pelo Banco da Grécia.

O volume de depósitos foi de 155.400 milhões de euros, o que constitui o nível mais baixo também desde 2012.

Em dezembro de 2014, os depósitos tinham diminuído em 4.000 milhões de euros, o que o banco central considerou normal tendo em conta que é altura do Natal e que há um aumento de pagamento de impostos no final do ano.

Segundo cálculos do banco norte-americano JP Morgan, só na semana passada, ou seja, antes da reunião do Eurogrupo na qual a Grécia chegou a acordo com os seus credores, saíram dos bancos gregos 3.000 milhões de euros e 2.000 milhões na semana anterior.

Desde finais de outubro, calcula-se que a fuga de depósitos tenha ascendido a 22.000 milhões de euros, aparentemente dinheiro que na sua maior parte não terá saído do país.

O ministro das Finanças grego, Yanis Varoufakis, afirmou na quarta-feira que desde o acordo com o Eurogrupo alcançado na sexta-feira, regressaram aos bancos 700 milhões de euros.