O Banco Central Europeu (BCE) reduziu o limite máximo da linha de liquidez de emergência disponibilizada para os bancos gregos, num sinal de que estão amenizadas as restrições de liquidez.

Segundo a agência de informação financeira Bloomberg, que cita uma fonte que prefere manter o anonimato, o Conselho de Governadores do BCE decidiu hoje reduzir o teto da linha de liquidez de emergência (ELA, na sigla em inglês) de 90,4 para 89,7 mil milhões de euros.

A decisão da entidade liderada por Mario Draghi segue-se a um pedido do banco central da Grécia para reduzir o limite máximo da ELA, justificado com a melhoria das condições de liquidez do sistema bancário helénico. O porta-voz do BCE recusou comentar esta informação.

Também hoje, o Governo grego aliviou as regras de controlo de capitais, em vigor desde 29 de junho, podendo agora os cidadãos transferir até 500 euros por mês para fora do país. Às famílias com filhos a estudar fora da Grécia é permitido agora enviar até 8.000 euros para cobrir as respetivas despesas de educação (o limite anterior era de 5.000 euros).