O Banco Central Europeu (BCE) manteve hoje o patamar máximo de liquidez de emergência que os bancos gregos podem pedir a Frankfurt através do Banco da Grécia em 89 mil milhões de euros, informou um porta-voz da instituição.

O Conselho de Governadores do BCE, composto pelos governadores dos bancos centrais dos 19 países da zona euro, reuniu-se hoje para discutir a assistência financeira à Grécia antes do referendo do próximo domingo e vai voltar a discutir a matéria na próxima segunda-feira, segundo a informação avançada pela agência de notícias espanhola EFE.

As entidades financeiras helénicas podem refinanciar-se com o programa de assistência de urgência de liquidez através do Banco da Grécia mas, em troca, têm que apresentar garantias, que são a dívida soberana grega e a dívida emitida pelos bancos do país com garantia estatal, cujo 'rating' (notação) foi novamente revisto em baixa pelas agências de notação financeira.

Apesar dos cortes de 'rating' recentes, e da situação de impasse que vive a Grécia, o BCE decidiu não aplicar cortes superiores ao valor da dívida grega ou garantida pelo Estado grego que os bancos apresentam como garantia.