O conselho de governadores do Banco Central Europeu (BCE) decidiu esta quarta-feira manter ao nível atual os empréstimos de emergência concedidos aos bancos gregos, uma decisão que abrange as próximas duas semanas, indicou fonte citada pela AFP.

O Banco da Grécia não pediu um aumento desta linha de liquidez, segundo fonte próxima dos bancos centrais da zona euro.

Questionado sobre esta matéria, o BCE recusou comentar as informações.

O primeiro-ministro Alexis Tsipras disse hoje que a Grécia está muito perto de conseguir um terceiro resgate junto dos credores internacionais. O governante espera que este acordo acabe com a especulação em redor da permanência do país na zona euro. 

“Estamos na reta final de concluir um acordo com as instituições. Apesar das dificuldades que enfrentamos, acreditamos que este acordo poderá encerrar as dúvidas sobre o futuro da Grécia e da sua permanência na zona euro”, afirmou, citado pelo jornal grego Ekathimerini.  


Tsipras anunciou ainda um programa de seis mil milhões de euros para desenvolvimento do setor agrícola até 2020 e que poderá gerar 50.000 postos de trabalho. 

Também hoje o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, disse acreditar na possibilidade de a Grécia concluir um acordo sobre o terceiro resgate com os credores ainda este mês, “de preferência, antes de dia 20”.  

As negociações progridem de “forma satisfatória”, afirmou Jean-Claude Juncker, em entrevista à agência AFP. 

As negociações entre a Grécia e os credores internacionais para um terceiro resgate, estimado em até 86 mil milhões de euros a três anos, começaram oficialmente na terça-feira passada (28 de julho).