Os bancos gregos poderão voltar a abrir, normalmente, já no final da próxima semana, caso seja alcançado um acordo no domingo entre Atenas e os credores, avança a CNBC.

Os bancos gregos estão encerrados desde o dia 29 de junho.
 
De acordo com a Reuters, os bancos gregos poderão vir a precisar de uma injeção de capital adicional que pode chegar aos 14 mil milhões de euros.

O ministro grego das Finanças, Euclid Tsakalotos, disse esta sexta-feira que o controlo de capitais na Grécia pode ser rapidamente revertido, caso se chegue a um acordo com os credores, o que evita a saída do país da zona euro. 

O governante, que discursou no parlamento, falou ainda do papel do BCE, dizendo que o banco central tanto fez pressão do lado grego como do lado dos credores. 

As derradeiras propostas gregas foram ontem enviadas para Bruxelas dentro do prazo previsto: IVA, novos impostos, descer salários na função pública, criar uma espécie de regime de mobilidade especial, desencorajar reformas antecipadas e privatizar mais do que estava previsto. Se credores aceitarem, tábua de salvação política de Alexis Tsipras poderá ser a reestruturação da dívida. 

Esta sexta-feira, o antigo ministro das Finanças, Yanis varoufakis, disse "apoiar inteiramente" as propostas que foram enviadas aos credores, mostrando assim o seu apoio ao seu sucessor.