As empresas vão passar a ter mais tempo para pagarem as dívidas à Segurança Social.
 
A intenção do ministro Mota Soares é a de que pessoas singulares e empresas disponham do mesmo prazo para pagarem as prestações em falta.

Segundo o jornal Correio da Manhã, a medida vai em breve ser levada a Conselho de Ministros. O Governo prepara-se para avançar com uma alteração ao regime jurídico de regularização de dívidas que aumenta de 120 para 150 o número de prestações mensais para as empresas liquidarem valores em falta.
 
As pessoas singulares já beneficiavam desta possibilidade, mas agora a ideia do Governo é dar às empresas uma folga de tesouraria e diminuir as pendências judiciais.
 
Para evitar penhoras, pessoas singulares e empresas têm recorrido aos planos prestacionais para regularizar dívidas à Segurança Social. Os últimos dados apontam para uma média de sete mil pedidos por mês.