Trinta e quatro trabalhadores do Instituto de Segurança Social (ISS), que se encontravam em regime de mobilidade especial, foram notificados para regressar aos seus locais de trabalho na segunda-feira, informou o ministério da tutela.

Em comunicado divulgado na sexta-feira à noite, o Ministério do Trabalho, da Solidariedade e Segurança Social refere que se trata da segunda fase, "considerada prioritária", de reintegração de funcionários do ISS que estavam no regime de requalificação (mobilidade especial).

Justificando a resolução da situação, a tutela lembra que, a partir de quinta-feira, estes trabalhadores "iriam sofrer uma redução salarial de 60% para 40% do seu vencimento".

A primeira fase de reintegração, a 01 de janeiro, englobou 24 funcionários do ISS, que estavam "em risco de despedimento efetivo".

O Ministério do Trabalho, da Solidariedade e Segurança Social promete, no comunicado, continuar "a trabalhar para encontrar uma solução para a reintegração dos restantes trabalhadores do Instituto de Segurança Social, I.P. colocados no regime de requalificação pelo anterior Governo".

Na sexta-feira, o secretário-geral do Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Pública, José Abraão, indicou à Lusa que docentes pertencentes aos centros distritais da Segurança Social, que estão em requalificação, foram notificados para comparecer nos seus locais de trabalho na segunda-feira.