O secretário de Estado da Inovação, Pedro Pereira Gonçalves, considerou hoje «fundamental no reforço ao empreendedorismo» a revisão feita no Código Fiscal que, entre outras medidas, irá permitir a capacidade de investimento das empresas.

Pedro Gonçalves, que falava na abertura de um «Open Day» na Incubadora do Taguspark, em Oeiras, explicou que a revisão do Código Fiscal de Investimento, aprovada na semana passada em Conselho de Ministros, será um «incentivo para as pessoas arriscarem na criação de novas empresas».

«Vamos aumentar em cinco pontos percentuais a capacidade de investimento das empresas, que passará de 20 para 25%, haverá benefícios para quem investir em concelhos do Interior e, finalmente, a capacidade de IRC zero para os três primeiros anos das empresas», resumiu o governante.

O secretário de Estado da Inovação, Investimento e Competitividade explicou que «as empresas criadas vão poder deduzir o total de investimento à sua coleta [até agora só era admissível 50%], ou seja, vão ter um IRC zero».

Para Pedro Pereira Gonçalves, as novas medidas serão fundamentais para apoiar empreendedores.

«É para nós muito claro que a recuperação da economia do país se faz com a necessidade de reenfocar a economia no setor transacionável. Portugal deve ter a ambição de fazer crescer a sua exportação para 50% do PIB», frisou.

Para o governante, isso só se consegue através da inovação.

«Empreender é importante mesmo que o resultado seja de insucesso porque isso tem um efeito de espicaçar os incumbentes. A criação de novas empresas, que trazem algo de novo e novas abordagens, faz com que as existentes tenham que dar corda aos sapatos e isso já é muito positivo», sustentou.

Pedro Pereira Gonçalves presidiu à abertura de um «Open Day» realizado hoje na Incubadora do Taguspark, que tem como objetivo dar a conhecer as empresas que ali desenvolveram os seus projetos de negócio, na área das Tecnologias de Informação, Comunicação e Eletrónica, Energias Renováveis e Eficiência Energética, Biotecnologia e Ciências da Vida.

Trata-se de um investimento na promoção e acompanhamento de empreendedores disponibilizando-lhes meios e apoios, gabinetes de escritório e módulos de laboratórios, que lhes permitem transformar projetos inovadores em realidades empresariais.