O Governo prevê que a inflação seja nula este ano, abaixo da projeção de 0,4% avançada no DEO e da de 1% definida no Orçamento do Estado de 2014, na proposta de segundo orçamento retificativo divulgada esta quinta-feira.

Previsão da dívida pública revista em alta

Governo prevê cobrar mais de 1,1 mil milhões de impostos

«A inflação deverá ser nula em 2014, contrastando com a projeção de 0,4% no DEO [Documento de Estratégia Orçamental] e de 1% no Orçamento de Estado de 2014», refere o Governo no relatório que acompanha a proposta para a segunda alteração ao orçamento deste ano.

«De facto, nos primeiros sete meses do ano, o Índice de Preços no Consumidor registou uma variação média homóloga de -0,3%, projetando-se que, ao longo do ano, esta recupere algum do seu dinamismo», estima o Executivo, tendo em consideração uma depreciação da taxa de câmbio do euro.

O segundo orçamento retificativo para 2014 apresentado esta quinta-feira pelo Governo revê o cenário macroeconómico, diminuindo a taxa de desemprego para 14,2% e cortando o crescimento económico para 1%, perante as previsões de abril que constam no DEO, alterações que permitem um impacto positivo nas contas públicas.

O objetivo de 4% de défice para este ano mantém-se uma garantia do Governo, excluindo o impacto que o conjunto de operações extraordinárias, como a criação do Novo Banco, pode ter nas contas públicas.