O presidente da TAP diz que as propostas para a empresa “são sólidas e dão garantias de futuro”.
 
Em entrevista ao Diário Económico, Fernando Pinto afirma que os dois projetos sofreram mudanças para melhor e está, por isso, “muito tranquilo”.
 
O presidente executivo da TAP revela ainda que a empresa tem um ‘plano B’ caso o Governo decida não vender a companhia, mas por enquanto não quer adiantar detalhes.
 
Quanto ao plano de contenção de despesas exigido pelo Governo depois da greve dos pilotos, Fernando Pinto diz que a base desse plano é o reajustamento de rotas, que não vão ser fechadas, mas suspensas.
 
Fernando Pinto admite ainda que o pessoal de voo tem de ser adequado a uma empresa um pouco melhor, mas afasta o cenário de despedimentos, lembrando que na TAP há várias pessoas em condições de sair para a reforma.
 
O Governo vai anunciar esta quinta-feira, após a reunião de Conselho de Ministros, quem é o vencedor à privatização da companhia aérea, sabe a TVI.

Os dois candidatos à compra de 61% da TAP são o empresário colombiano Germán Efromovich e o norte-americano dono da Azul, David Neeleman.