[Atualizada às 20:18]

O ministro-adjunto Poiares Maduro desvalorizou esta terça-feira as previsões da OCDE, que revêm em baixa o crescimento económico, nomeadamente para Portugal.

O governante destaca que os números não são todos negativos, e , no caso do desemprego, as previsões até são mais otimistas do que as do Governo.

«O que me parece fundamental é que nós temos conseguido recentemente antecipar resultados positivos, através do esforço feito por todos os portugueses, temos conseguido ter resultados melhores até em termos de crescimento económico e evolução do desemprego do que aqueles que tinham sido antecipados pelo próprio Governo e é para isso que continuaremos a trabalhar», frisou.

A OCDE prevê que a economia portuguesa recue 1,7% este ano e que volte ao crescimento em 2014, mas apontando para um crescimento de apenas 0,4%, metade do previsto pelo Governo e pela troika.

Para 2015, de acordo com o Economic Outlook, divulgado esta terça-feira, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) espera que Portugal registe um crescimento de 1,1%, inferior à previsão do Governo e da troika (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional), que apontam para um crescimento de 1,5%.

Em 2013, a concretizar-se a previsão da OCDE, o recuo da economia será ligeiramente inferior ao previsto pelo Governo e pela troika cuja previsão é de uma recessão de 1,8%.

«À medida que as condições globais melhorem e que a procura interna recupere, o crescimento deve retomar lentamente, com um crescimento marginalmente positivo esperado para 2014», lê-se no documento da organização com sede em Paris.