O vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, defendeu hoje a necessidade de apostar «tudo» no investimento em Portugal para assegurar o crescimento da economia e o combate ao desemprego.

Passos Coelho: «Ninguém tem certezas sobre o futuro»

Carta ao FMI ainda «não está finalizada»

«Precisamos de apostar tudo no investimento para reforçar o nosso nível de crescimento e só com um nível de crescimento sustentado é que nós poderemos contrariar mais a questão do desemprego que começou a decrescer, lentamente, mas precisamos de mais investimento e de mais crescimento para consolidar essa trajetória», advogou Paulo Portas.

O vice-primeiro-ministro presidiu esta tarde à cerimónia de assinatura do contrato de investimento entre o Estado, a Bosch Car Multimedia Portugal e a Universidade do Minho, na sede da Agência para o Investimento e o Comércio Externo de Portugal (AICEP), em Lisboa.

Numa intervenção proferida no final da cerimónia, Paulo Portas reforçou que «Portugal precisa de dar sustentabilidade ao seu crescimento», embora o país esteja «a crescer mais do que a média da zona euro».

Segundo considerou, «o pilar do crescimento chama-se investimento e há muito boas razões para investir em Portugal e não noutro país e, entre elas, está a qualificação dos nossos recursos humanos, o facto de os impostos sobre as companhias serem moderados para sermos mais competitivos em termos fiscais, e uma legislação de trabalho que é mais flexível, que é mais amiga do investimento».

Para além disto, «é evidente que este investimento vai potenciar e aumentar as exportações a partir de Portugal em áreas bastante sofisticadas e este critério é absolutamente decisivo para o futuro», enfatizou ainda o governante, que acrescentou: «é preciso que o GPS das empresas portuguesas acentuem tanto os mercados tradicionais da Europa, como os mercados não tradicionais, com maior poder de aquisição dos nossos produtos».

No âmbito do contrato de investimento hoje assinado, de 19,3 milhões de euros, serão criados 71 postos de trabalho permanentes, 131 estágios em áreas qualificadas ao abrigo da parceria entre a Bosch e o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), até 2015.

Do valor total do investimento, 12,1 milhões de euros são investimento Bosch, sendo que 50% deste montante é financiado por fundos provenientes do Quadro de Referência Estratégica Nacional (QREN) e 7,2 milhões de euros são investimento da Universidade do Minho (75% deste valor é financiado pelo QREN).