A ministra da Presidência e da Modernização Administrativa disse, esta terça-feira, em Mafra, que as Lojas do Cidadão contratualizadas pelo anterior Governo vão avançar, a par de outras, prevendo-se a abertura de seis este ano.

"Vamos avaliar, melhoraremos aquilo que for de melhorar, mas vamos dar continuidade", afirmou à agência Lusa Maria Manuel Leitão Marques.

A governante lembrou que a política de abertura de Lojas do Cidadão começou em 1999 com um Governo socialista. Apesar de lamentar que o executivo PSD/CDS-PP liderado por Passos Coelho não tenha "dado continuidade aos protocolos assinados" pelo anterior Governo de José Sócrates, a responsável referiu que o programa foi retomado "muito bem".

"Naturalmente tudo o que é bom é para continuar. Nós não temos esse preconceito que teve o Governo anterior em relação ao programa das Lojas do Cidadão e do Simplex", acrescentou.

A ministra da Presidência e da Modernização Administrativa falava no final da inauguração da Loja do Cidadão de Mafra, instalada no antigo quartel dos bombeiros, depois de ser adquirido pela câmara por 800 mil euros e de serem feitas obras de 1,2 milhões de euros.

O edifício centraliza serviços como a Loja do Cidadão, Finanças, Segurança Social e ainda serviços da Associação do Comércio, Indústria e Serviços de Mafra, da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal e empresa privadas no primeiro piso e, no segundo, auditório e gabinetes da assembleia municipal.

"A dispersão e o mau estado dos serviços foram a grande motivação para irmos além do que seria expetável", disse o presidente da câmara, Hélder Silva (PSD), lembrando que as instalações das Finanças "eram antigas e não tinham condições de acessibilidade para todos", enquanto a Segurança Social se distribuía-se por dois locais, “ocupando uma loja e um apartamento de habitação, também sem condições de acessibilidade".

O investimento foi da câmara municipal, que contou com 150 mil euros de fundos comunitários - "muito pouco face ao esperado" pelo município.