O ministro do Ambiente, Jorge Moreira da Silva, anunciou esta sexta-feira que o Governo vai investir até ao final do próximo ano 300 milhões de euros em três centenas de intervenções de proteção do litoral português.

«No total, entre Orçamento de Estado e fundos comunitários, estaremos nestes dois anos (1014 e 2015) a alocar 300 milhões de euros» na proteção do litoral, disse hoje à Lusa o ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia.

O investimento demonstra, segundo o governante, que a proteção da orla costeira se mantém entre as prioridades do Governo para o próximo ano, o que diz ser «perfeitamente justificável» tendo em atenção «a fragilidade da costa» e o facto de nas últimas duas décadas terem ficado por concretizar várias «intervenções que estavam previstas no papel».

Jorge Moreira da Silva adiantou que a verba será investida em operações de proteção de pessoas e bens, algumas das quais já em execução, uma vez que todas as intervenções prioritárias estão identificadas no Plano de Ação do Litoral.

«Há muito tempo que sabemos o que é prioritário, isso está no papel há tempo suficiente para que saibamos como agir e de que forma intervir», sublinhou.

Jorge Moreira da Silva falava em Óbidos, à margem da assinatura do contrato de financiamento entre o Programa Operacional Temático Valorização do Território (POVT) e a Agência Portuguesa do Ambiente, para uma intervenção de dragagem na Lagoa de Óbidos.

O Orçamento de Estado para 2015 na área do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia é de 752,4 milhões de euros.

Por medidas, o documento estipula 341,7 milhões de euros para a área da habitação e Serviços Coletivos – Proteção do Meio Ambiente e Conservação da Natureza, sublinhando que a maior parte desta verba será para a defesa da orla costeira.