O parlamento grego aprovou este sábado o pacote de reformas económicas que o Governo apresentou aos credores, na quinta-feira, com o objetivo de assegurar um novo resgate da União Europeia.

A votação contou com 251 votos a favor, 32 contra e oito abstenções, que foram, na totalidade, dos deputados do Syriza, como o ministro da Energia, Panayotis Lafazanis, e a presidente do parlamento, Zoé Konstandopulu.

“A prioridade agora é ter um final positivo nas negociações. Tudo o resto tem o seu tempo”, disse Tsipras, considerando que tem agora um “forte mandato” para fechar um acordo com os credores internacionais.


Antes da votação, e perante o anúncio de que alguns deputados do Syriza não iam apoiar a proposta, o primeiro-ministro, Alexis Tsipras, fez um discurso de apelo à unidade.

Este sábado, a Comissão Europeia, o Banco Central Europeu e o Fundo Monetário Internacional comunicaram à Zona Euro que as propostas da Grécia para um resgate são a base para a negociação, afirmou fonte oficial da UE à Reuters.

“As três instituições fizeram uma primeira avaliação conjunta das propostas de reforma do governo grego apresentadas na quinta-feira à noite. Sob certas condições, veem as propostas como base para a negociação de um programa de resgate. Essa avaliação foi enviada ao presidente do Eurogrupo ontem à noite”, afirmou a fonte.

 

Acordo hoje? 


Fontes próximas das negociações da zona euro afirmaram à Reuters que os ministros das Finanças europeus têm sérias dúvidas de que o acordo seja conseguido este sábado.

Apesar dos credores internacionais da Grécia terem afirmado que acreditam que as últimas propostas de reformas do executivo de Atenas são suficientemente positivas para permitirem um novo resgate, alguns dos ministros europeus parecem não estar de acordo.

Um dos países é a Alemanha que, juntamente com outros governos, se mostra cética perante a nova proposta grega. 

As propostas gregas serão avaliadas neste sábado pelos ministros das Finanças da zona euro, numa reunião que decorrerá em Bruxelas, a partir das 14:00 (hora de Lisboa).