O Executivo fechou 2013 com um défice orçamental entre 5% e 5,1%, mas ainda assim não chega caso o Tribunal Constitucional decida chumbar os cortes salariais da Função Pública, fevela o Jornal de Negócios.

À primeira vista seria suficiente para compensar o chumbo, mas se o TC decidir por essa via, estará também a chumbar o cortes de salários criado em 2011 por José Sócrates, uma vez que o atual Governo juntou tudo na mesma norma.