O Governo aprovou esta quinta-feira em Conselho de Ministros a venda da participação de 31,5% que ainda detém nos CTT.

A última fase da privatização será realizada através de uma venda direta institucional, «através de um sindicato bancário ou a dispersão direta junto de investidores institucionais», revelou secretário de Estado das Finanças, Manuel Rodrigues.

Em dezembro, quando da primeira alienação de 70% do capital da empresa, o Governo fixou o valor de venda ao público em geral das acções dos CTT nos 5,52 euros, o limite máximo do intervalo anunciado.

A empresa ficou avaliada em 828 milhões de euros.

O lucro dos CTT avançou 70,7% em 2013 para 61 milhões de euros, face aos 35,7 milhões de euros registados no ano anterior.