O Governo já está a preparar novos programas de rescisões amigáveis na Função Pública, revela o relatório do Fundo Monetário Internacional sobre a 10ª avaliação ao programa de ajustamento português, escreve o Diário Económico.

O primeiro programa, dirigido ao pessoal menos qualificado, terminou em novembro. Entretanto foram lançados mais 2, um para professores e outro para técnicos superiores, ambos a decorrer. Os resultados ainda não são conhecidos.

Os programas de rescisões visam «reduzir o excesso de emprego em subsetores específicos» e qualificar os funcionários públicos, adianta o documento.

O diploma sobre a revisão dos suplementos salariais da Função Pública será entregue no Parlamento até ao final de Junho, acrescenta o relatório do FMI.