O Ministério das Finanças defendeu este sábado o recurso à dívida senior na resolução do Banif teria tido implicações na estabilidade financeira e também levaria a imputar perdas aos depositantes, pondo em causa “poupanças de uma vida”.

“Na sequência de algumas notícias que afirmam que o Estado poderia ter poupado entre 500 mil a 1.000 milhões de euros em dívida sénior do Banif, o Ministério das Finanças faz o esclarecimento [de que] esta informação é falsa, já que a participação de dívida sénior na cobertura de prejuízos atingiria no máximo 169 milhões de euros e qualquer valor superior implicaria a perda de depósitos”, lê-se no comunicado hoje divulgado pelo gabinete liderado por Mário Centeno.

O Governo afirma que a resolução do Banif, em dezembro, foi feita tendo em conta a necessidade de preservar a estabilidade financeira e que uma solução como a referida “poria em causa a confiança dos investidores e aforradores no sistema financeiro português, com consequências nefastas sobre a estabilidade financeira e o bem estar dos portugueses”.