A ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, afirmou esta quinta-feira no parlamento que o acesso de Portugal ao mercado está «completamente normalizado», considerando que o leilão de dívida a 10 anos realizado na quarta-feira comprova isso mesmo.

«Tivemos mais um leilão bem-sucedido. O acesso ao mercado por parte do Tesouro está completamente normalizado. Mais uma vez emitimos no longo prazo com um custo inferior ao do último leilão, com uma procura robusta e com uma colocação essencialmente junto de investidores internacionais», afirmou hoje a governante na comissão parlamentar de Orçamento, Finanças e Administração Pública, que termina hoje as audições no âmbito do debate na especialidade da proposta de Orçamento do Estado para 2015 (OE2015), citada pela Lusa.

Para Maria Luís Albuquerque, trata-se de «um sinal muito positivo» a que o Governo, no entanto, «já não dá o destaque de outrora porque, felizmente, isto transformou-se num processo normal».

A ministra das Finanças disse ainda que o Estado pode agora «escolher os momentos» em que vai ao mercado e que, nesta altura, «mais de metade das necessidades de financiamento do próximo ano já está assegurada», o que representa «uma tranquilidade e uma segurança relativamente à capacidade de financiar o orçamento» de 2015.

Na quarta-feira, Portugal emitiu 1.200 milhões de euros em Obrigações do Tesouro (OT) com maturidade a dez anos, tendo colocado no mercado um montante superior ao previsto, a uma taxa de juro de 3,1766%, abaixo da verificada do último leilão comparável.