Já há uma proposta para compensar os lesados do Banco Espírito Santo, que compraram papel comercial do BES.
A proposta implica no entanto perdas superiores a 50% do dinheiro investido. A imprensa económica avança que a proposta passa pela conversão do papel comercial do GES em obrigações do novo banco.

A solução está a ser negociada entre o Banco de Portugal e Novo Banco. A associação de lesados do papel comercial considera a proposta inaceitável.

Os investidores terão ainda de aceitar fazer uma aplicação adicional no banco a 10 anos. A porposta garante, no imediato, recuperação de 15% do valor investido. Percentagem idêntica à que se estima possa vir a ser paga aos credores do GES no Luxemburgo.

A proposta não tem a simpatia nem a concordância da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários. Segundo o Diário Económico, a CMVM entende que a proposta corresponde às promessas feitas aos clientes lesados, visando apenas facilitar a venda do Novo Banco ao melhor preço possível.