O arresto judicial de imóveis da família Espírito Santo vai impedir o reembolso de papel comercial da Espírito Santo Property a 370 clientes.
 
Conforme apurou o Diário Económico, este reembolso estava previsto no âmbito do processo especial de revitalização.
 
Em causa está uma dívida que ronda os 30 milhões de euros, repartida por 370 investidores de retalho, que seria paga até 2020.
 
A Espírito Santo Property prometeu reembolsar integralmente os investidores em papel comercial, ao contrário das holdings Rioforte e Espírito Santo International, que se encontram em liquidação.