Desde 1 de janeiro que os consumidores que no mercado livre de eletricidade podem voltar ao mercado regulado, mas continua a ser muito importante estar atento à fatura para não ter surpresas desagradáveis. E, sobretudo, ver o que é melhor para o seu caso.

A Deco está a prestar esclarecimentos sobre o tema e a jurista Carolina Gouveia esteve no espaço da Economia 24 do “Diário da Manhã” da TVI.

No mercado livre de eletricidade posso escolher o fornecedor. No mercado regulador só há a EDP Universal?

Sim. A função, de ser o comercializador de último recurso, foi entregue a uma empresa, neste caso, a EDP Universal.

Vale a pena mudar para o mercado regulado, outra vez?

Antes de tomarmos essa decisão devemos perceber se a tarifa no mercado regulado é mais barata. Porque não é, necessariamente, verdade que assim seja.

Como sabemos qual a melhor tarifa?

Simular é o primeiro passo que aconselhamos.

https://www.deco.proteste.pt/casa-energia/eletricidade-gas/simule-e-poupe/eletricidade-gas-melhor-tarifa/?landingpage

https://poupaenergia.pt/

http://www.erse.pt/pt/electricidade/simuladores/simuladoresdecomparacaodeprecosnomercado/Paginas/simuladordecomparacaodeprecosembtnparaportugalcontinental.aspx

Quando fazemos a simulação devemos ter uma fatura connosco. E, especialmente, uma fatura que tenha consumos reais e não consumos estimados. A tarifa mais barata para si pode não ser para mim e não existe uma tarifa mais baixa universalmente. É preciso ver casa a casa.

Se tiver um contrato no mercado livre e chegar à conclusão de ganho em mudar para o regulado, como devo proceder?

Há uma informação importante que vai ter que constar em qualquer fatura: informação relativa à poupança - se a tarifa regulada é mais barata para mim, naquele caso. Claro que, mesmo assim, deve fazer a simulação antes de decidir.

Acresce que, na fatura deve constar se aquele comercializador tem, ou não, a tarifa equiparada. Se tem, eu simulei e vi que é mais barata para mim, então devo contatar o comercializador e alterar o tarifário para essa tarifa equiparada.

E se não tiver?

Posso fazer diretamente um contrato com a EDP Universal. Digo que o meu comercializador não tem, porque consta da fatura que não tem, e quero mudar para o mercado regulado.

É fácil cessar o contrato? Não tem custos?

As regras estão feitas para que seja fácil e sem custos. Vamos ver se as regras serão cumpridas. A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) já disse que os consumidores não podem ser prejudicados por esta opção, por isso, quando existe um período de fidelização, não pode ser aplicado aos consumidores que decidam voltar para o mercado regulado.

A menos que haja serviços adicionais?

Mas mesmo assim, acreditamos que também estão incluídos na legislação e não vão ser aplicadas penalização.

No caso do gás natural, a Deco defende que também devia ser possível voltar ao mercado regulado, mas isso não acontece?

Sim. Dado que no gás também existe um mercado regulado e um mercado livre, defendemos que os consumidores também deveriam ter esta opção.

A questão do mercado livre e regulado, não é o único caminho para poupar energia?

Sim. Há n tarifas que podemos escolher de forma a adaptarmos melhores os consumos. Não esquecendo aquelas poupanças que parecem mais óbvias, mas que, por vezes, não se fazem, como mudar as lâmpadas para umas mais económicas ou evitar deixar equipamentos em standby durante a noite.

 

Embora o regulador da energia tenha determinado uma descida, desde 1 de janeiro, de 0,2% do preço da eletricidade para os consumidores domésticos - cerca de 1,2 milhões -  que estão no mercado regulado, no mercado livre as coisas são diferentes. E já estão no mercado livre próximo de 4,2 milhões de clientes. Quem é cliente da EDP Comercial verá a fatura aumentar a partir de 18 de janeiro. O aumento médio rondará os 2,5% e a empresa já começou a informar os clientes por e-mail ou carta. Qual a justificação da empresa? A subida dos preços da energia em 24% no último ano.