O secretário de Estado da Energia, Jorge Seguro, considerou hoje que um dos maiores desafios no setor do gás natural é a criação de um ‘hub' em Sines para as empresas terem acesso à energia a um preço mais competitivo.

No encerramento do encontro anual da AGN - Associação Portuguesa das Empresas de Gás Natural, em Lisboa, o governante recordou que "o gás natural para a indústria em Portugal é o segundo mais caro da Europa, a seguir à Dinamarca", defendendo que a concretização de um ‘hub' de gás em Sines permitiria "um mercado mais concorrencial e mais competitivo".

Ainda assim, o secretário de Estado da Energia defendeu prudência nos investimentos, considerando ser necessário "evitar custos ociosos que possam por em causa este projeto".

Neste contexto, acrescentou, importa fazer a harmonização de licenças de gás natural, a convergência de tarifas de acesso com Espanha e o reforço das interligações entre Espanha e França para o ‘hub' ibérico poder ser uma alternativa ao abastecimento da Europa, aumentando a segurança no abastecimento.

O plano é Portugal ser uma das portas de entrada de gás natural no mercado europeu, permitindo diversificar a sua origem - e reduzir a dependência da Rússia -, mas para tal falta ainda a terceira interligação a Espanha, responsabilidade da REN, gestora das redes energéticas.

À margem do encontro, questionado sobre as medidas prioritárias, Jorge Seguro remeteu comentários sobre a setor energético para depois da votação do programa do Governo na Assembleia da República.