O gigante russo Gazprom anunciou hoje ter adiado para 16 de junho o ultimato que fez à Ucrânia relativamente ao pagamento da dívida de gás, enquanto prosseguem, em Bruxelas, as negociações mediadas pela União Europeia.

«A parte russa deu um passo em direção à continuidade das negociações, as quais têm sido ameaçadas, de forma intensa, nos últimos tempos, ao decidir adiar para as 10:00 de segunda-feira o prazo para o pagamento», encontrando-se a situação agora em «pré-pagamento», declarou o presidente da Gazprom, Alexeï Miller, após uma reunião com o comissário europeu da Energia, Günther Oettinger.

A UE está particularmente interessada na resolução do conflito, uma vez que importa 40% do seu gás da Rússia e metade deste valor vai para o território comunitário através de gasodutos ucranianos.

Moscovo já tinha concedido mais uma semana a Kiev no início do mês, ao ter adiado para 09 de junho o seu ultimato sobre o pagamento do gás e a ameaça de uma rutura no abastecimento à Ucrânia.