O consórcio que integra a Galp Energia vai avançar no verão com o primeiro poço exploratório de petróleo na costa alentejana, a cerca de 80 quilómetros de Sines, anunciou esta terça-feira o administrador Thore Kristiansen.

No dia em que divulga, em Londres, o plano estratégico para 2016-2020,o responsável pela área de produção e exploração na Galp Energia afirmou que o primeiro poço exploratório, um investimento superior a 100 milhões de dólares, vai avançar no verão.

A italiana Eni detém uma participação maioritária de 70% na parceria com a Galp (30%) para a prospeção de petróleo na costa alentejana, onde detém três concessões, denominadas Lavagante, Santola e Gamba, que abrangem uma área total de aproximadamente 9.100 quilómetros quadrados.

O furo na costa alentejana será o 28.º em alto mar na costa portuguesa e o primeiro em águas profundas.

Segundo aiantou recentemente Franco Conticini, da petrolífera italiana ENI, a operação de perfuração vai decorrer por um período de cerca de 45 dias, durante o qual um navio vai recolher análises para perceber se há viabilidade para continuar a investigar.

"Em caso de descoberta vamos precisar de mais poços para estimar o tamanho e a extensão da jazida", explicou em setembro Franco Conticini, numa conferência promovida pela Entidade Nacional para o Mercado de Combustíveis, sendo aqui citado pela Lusa.