O secretário de Estado dos Assuntos Fiscais confirma que aceitou o convite feito pela energética Galp para assistir a dois jogos da seleção nacional, no âmbito do Euro2016.

Em comunicado, o Ministério das Finanças reafirma de Fernando Rocha Andrade considerou o convite “natural, dentro da adequação social”, e que entendeu que “não existia um conflito de interesses”.

No entanto, “para que não restem dúvidas sobre a independência” do Governo e do seu secretário de Estado, Rocha Andrade contatou a Galp “no sentido de reembolsar a empresa da despesa efetuada”, assegura o comunicado.

O responsável pelo Assuntos Fiscais do ministério de Mário Centeno foi assistir ao Portugal-Hungria (3-3), que ditou a passagem aos oitavos-de-final, a convite da Galp. Noticiou a revista Sábado.

Mas os convites aceites não ficaram por aqui. O jornal online Observador noticiou, entretanto, que Rocha Andrade também assistiu à final do Euro (Portugal-França), igualmente a convite da Galp.

Dois convites aceites e agora confirmados pelo governante que tem sob a sua tutela a resolução de um conflito fiscal que opõe o Estado português à Galp desde que a empresa, ainda na vigência do anterior governo, se recusou a pagar impostos que, no conjunto, superam os 100 milhões de euros.

A dívida respeita a dois impostos extraordinários sobre o setor energético, criados pelo governo PSD/ CDS-PP. O primeiro foi aplicado à Galp, à Edp e à Ren em 2014. As três protestaram mas só a Galp não pagou. O segundo data de 2015 e incide sobre os contratos de compra de gás natural feitos pela Galp na Nigéria e na Argélia e sobre os quais o Estado exige 150 milhões de euros.