Lapsus linguae, gafe, deslize? O ainda presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, referiu-se hoje a Mário Centeno como seu substituto na presidência do Eurogrupo. Disse-o antes sequer de a votação para a liderança, que decorre esta segunda-feira, se realizar.

“Sou presidente até dia 13 de janeiro e Mário Centeno [assumirá o cargo] a 14”, disse Dijsselbloem aos jornalistas, à entrada para a reunião do Eurogrupo em que será eleito o próximo presidente do fórum dos ministros das Finanças da zona euro. Depois, tentou remediar, mas já era tarde, uma vez que falava em direto para a comunicação social.

Eu disse Mário Centeno? Claro que não sei isso, mas aparentemente está-me na cabeça”.

“Por favor não me citem”, ainda pediu a seguir. Pedido que não surtiu efeito, uma vez que o deslize já tinha sido cometido.

Assim que chegou à reunião desta segunda-feira, Mário Centeno mostrou-se confiante. Favorito já é, mas é preciso esperar pelos resultados. Talvez só a meio da tarde se saberá, oficialmente, quem será o novo presidente do Eurogrupo.

Há mais três concorrentes na corrida, para além do ministro português: a letã Dana Reizniece-Ozola, o eslovaco Peter Kazimir e o luxemburguês Pierre Gramegna.