A Zon Optimus, que resulta da fusão por incorporação da Optimus, anunciou esta quarta-feira que já entregou as novas ações aos acionistas da Optimus, depois do aumento de capital de dois milhões de euros.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Zon Optimus adianta que no âmbito da fusão por incorporação da Optimus nesta entidade e do aumento de capital de 3,090 milhões de euros para 5,151 milhões de euros, foram hoje «emitidas e inscritas junto da Central de Valores Mobiliários» 206.064.552 novas ações representativas do seu capital social com o valor nominal unitário de 0,01 euros.

Estas ações têm os mesmos direitos e obrigações das restantes ações representativas do capital social da Zon Optimus.

«As novas ações foram, nesta data, atribuídas e entregues aos acionistas da Optmus, mediante o respetivo registo de titularidade em conta de valores mobiliários junto de intermediários financeiros por estes indicados, numa proporção de 1,791866 de ações Zon Optimus por cada ação por estes detida no capital social da Optimus», adianta.

A Zon Optimus submeteu hoje à Euronext Lisbon o pedido de admissão à negociação, no mercado regulamentado das novas ações.

Num outro comunicado, a operadora, que agora reúne os ativos da Zon e da Optimus, adianta que a ZOPT, empresa-veículo da empresária angolana Isabel dos Santos e da Sonaecom, passou a «deter uma participação direta de 50,01%» da operadora.

«A ZOPT adquiriu na presente data 168.575.228 ações representativas de 32,7% do capital social e dos direitos de voto da Zon Optimus».

Esta operação, adiantou, aconteceu na sequência da fusão por incorporação, aumento de capital e emissão das novas ações da Zon Optimus.

Também foram atribuídas à Sonaecom, fora do mercado, na qualidade de acionista da Optimus, 37.489.324 ações representativas de 7,3% do capital social e dos direitos de voto da Zon Optimus.

«Na sequência das operações acima mencionadas, passou a ser imputável uma participação qualificada na sociedade superior a 50% do respetivo capital social e direitos de voto» à Sonaecom e à Kento Holding Limited, Unitel International e à empresária Isabel dos Santos.

A Kento e a Unitel International são empresas direta e indiretamente controladas pela empresária angolana, enquanto a ZOPT é uma entidade conjuntamente controlada pelas suas acionistas Kento, Unitel International e Sonaecom, em virtude do acordo parassocial celebrado.

«A mencionada participação qualificada é também imputável à Sonaecom e a todas as entidades com esta em relação de domínio, designadamente a Sontel BV, a Sonae Investments BV, Sonae SGPS, Efanor Investimentos SGPS e o senhor Belmiro Mendes de Azevedo», escreve a Lusa.