A Repsol não vai avançar para o furo de gás natural no Algarve. A petrolífera espanhola tinha planeado procurar por gás no mar algarvio em outubro, mas decidiu adiar o furo sem nova data.

"O projeto de pesquisa está em processo de revisão, não havendo nesta altura data fixada para a perfuração", disse ao Negócios fonte oficial da Repsol Portugal.

O consórcio formado pela Repsol e a portuguesa Partex previa fazer um furo a uma distância de 40-50 quilómetros da costa do sotavento algarvio, em frente a Faro. Este consórcio detém quatro áreas para procurar hidrocarbonetos (petróleo e gás natural) no mar frente ao Algarve. Existiam bons indícios que pode haver gás natural no Algarve. Afinal, a Repsol já explora gás no mar no Golfo de Cádis, a 50 quilómetros de Portugal.

A Repsol junta-se assim à Galp que anunciou recentemente que não vai avançar este ano para a pesquisa de petróleo no Alentejo. "Tínhamos tudo preparado para começar a operação e tivemos que a suspender", disse o presidente da Galp no final de julho. Num mundo de preços de petróleo baixos, as companhias não estão dispostas a investir anos e dinheiro em projetos que podem não gerar lucro.