A demora nos prazos de resposta às candidaturas do QREN e a prorrogação contínua do pagamento das tranches por parte das entidades gestoras dos fundos europeus são problemas já identificados e que o Governo quer agora alterar.

Segundo o Jornal de Negócios, o Executivo quer que no Portugal 2020, o programa comunitário que vigorará nos próximos anos, o incumprimento dos prazos possa levar à demissão dos responsáveis que não os façam cumprir.

Ainda não estão definidos esses prazos de resposta, segundo o secretário de Estado do Desenvolvimento Regional, mas deixa o exemplo de uma ultrapassagem média de 20% dos prazos de resposta. Castro Almeida acrescenta que tem a convicção de que a administração pública, por exemplo, tem pouca consideração pelo respeito dos prazos quando estão em causa os seus deveres.